Início Destaques Técnico de enfermagem é preso por suspeita de estuprar paciente no Hospital...

Técnico de enfermagem é preso por suspeita de estuprar paciente no Hospital Universitário da USP em SP

Homem de 46 anos confessou o crime em depoimento. Vítima de 21 anos foi sedada enquanto fazia tratamento para fibromialgia.

COMPARTILHAR
blank
Foto: Reprodução/TV Globo

Clique Aqui e envie um “OI” pelo WhatsApp para receber mais notícias de Itapevi e do Brasil em seu celular gratuitamente


Um técnico de enfermagem foi preso nesta terça-feira (16) por suspeita de estuprar uma paciente no Hospital Universitário (HU) da USP, na Zona Oeste de São Paulo.

A vítima, de 21 anos, afirma que foi sedada e violentada no hospital enquanto fazia um tratamento para fibromialgia. O caso aconteceu em dezembro de 2020, e desde então a polícia vem levantando provas contra o homem.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), Sérgio do Santos Azevedo, de 46 anos, confessou em depoimento ter abusado sexualmente da paciente.

De acordo com a polícia, ele alegou sofrer de distúrbios psiquiátricos, mas não apresentou nenhum laudo médico que comprovasse o problema.

O homem teria aplicado uma injeção com sedativo na vítima que não constava no prontuário médico de atendimento.

“Ele não me apresentou o medicamento que ele estava me dando e, depois de 20 minutos, ele voltou e aplicou mais um medicamento. Ele me colocou numa cadeira de rodas e me levou até a sala de um médico. Eu já estava bem sonolenta. Eu só vi ele colocando um líquido branco, um sedativo na minha veia e lembro dele me deitando na maca. Eu não tinha reação porque eu estava sedada, dopada pelos medicamentos. Eu senti ele passando a mão por todo o meu corpo e fazendo movimentos com o meu corpo”, conta a vítima.

blank
Foto: Reprodução/TV Globo

O caso é investigado pela 3ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), que também apura a possibilidade de o técnico ter violentado outra mulher ainda no mês de dezembro.

SP2 tentou ouvir a defesa do técnico de enfermagem, mas, segundo a polícia, ele ainda não tem advogado constituído. O Hospital Universitário da USP informou que está tomando providências para apurar o ocorrido.

blank
Fonte:G1