COMPARTILHAR
Foto: Reprodução

A Enel Distribuição São Paulo, concessionária de energia elétrica que atua em 24 municípios da Grande São Paulo, realizou novo levantamento sobre a incidência de pipas na rede elétrica nos oito primeiros meses de 2021.

Os municípios com maior número de ocorrências no período pesquisado foram a cidade de São Paulo, com 1.111 ocorrências, seguido por Carapicuíba (61 casos), Mauá (44), Osasco e Itapevi (42), Embu (40) e Santo André (37). Os dados pesquisados pela distribuidora apontam que o maior número de registros ocorreu entre os meses de maio e julho, período que coincidiu com o avanço da pandemia do novo coronavírus e de novas restrições para intensificar o isolamento social.

Quando o assunto não é levado em consideração, a brincadeira pode provocar acidentes graves e, em algumas circunstâncias até fatais, além de ocasionar danos à rede elétrica, prejudicando diretamente o fornecimento de energia para milhares de clientes.

A interrupção do fornecimento de energia por conta das pipas pode ocorrer por diversas razões. Além do risco de rompimento dos cabos, as linhas que ficam enroscadas nas redes elétricas provocam desgastes nos fios, podendo levar a curtoscircuitos e derretimento. Nesses casos, equipes da distribuidora são mobilizadas para realizar os reparos necessários e substituir parte dos fios para restabelecer o serviço.

É importante reforçar os riscos de se empinar pipa próximo da rede e a necessidade de os pais orientarem as crianças e os adolescentes sobre os cuidados necessários. Além disso, o contato de objetos com a rede de energia pode provocar o desligamento das linhas de transmissão e distribuição”, explica o responsável pela área de Infraestrutura & Rede da Enel Distribuição São Paulo, Vincenzo Ruotolo.

 

Dicas da Enel 

Para garantir que a brincadeira ocorra de forma saudável e com segurança, a Enel
Distribuição São Paulo compartilha 10 dicas sobre prática de empinar pipa:
1. Não tente recuperar nada que esteja pendurado na rede elétrica. Somente
técnicos da distribuidora, treinados para este trabalho que exige o uso de
equipamentos de segurança, estão aptos a manusear a rede;
2. Soltar pipas perto da rede elétrica é extremamente perigoso, sob risco da linha
ou da pipa enroscar nos fios, ocasionando descarga elétrica O mais indicado é
empinar pipas em espaços abertos e afastados de fiações, como parques e campos
de futebol;
3. Materiais metálicos, como o alumínio, não devem ser usados na fabricação da
pipa, pois conduzem eletricidade, aumentando a chance de choque elétrico, com
risco de morte;
4. Evite a utilização de “rabiolas”, pois elas agarram nos fios elétricos, desligando o
sistema e provocando choques, muitas vezes fatais;
5. Não é indicado soltar pipas na chuva. Ela funciona como para-raios, conduzindo
energia e podendo provocar acidentes fatais;
6. Caso a pipa se enrosque em postes ou antenas, oriente os jovens a não
arremessar objetos nos fios e não tentar resgatá-los;
7. O uso de cerol (pó de vidro com cola) oferece mais um risco: ele corta os fios de
alumínio ou de cobre, o que pode levar a choques por rompimentos de cabos;
8. O uso da chamada linha chilena, que possui poder de corte quatro vezes maior
que o cerol tradicionalmente usado nas pipas, tem agravado a situação. O risco de
acidentes fatais é alto para pedestres e motociclistas e os danos à rede elétrica
também são maiores;
9. É aconselhável ter sempre um adulto responsável acompanhando as crianças no
momento da brincadeira.
10. Ao empinar pipa, tenha cuidado com o fluxo de ciclistas e motociclistas no local.
Em alta velocidade, linhas podem não ser vistas e, com isso, podem causar graves
acidentes, sobretudo se tiverem cerol ou linha chilena;