Prefeitura distribui lanches todas às sextas-feiras para cerca de 25 mil crianças da rede municipal de ensino. Foto: Pedro Godoy/ Ex-Libris/ Secom PMI

A prefeitura de Itapevi implementou a partir da sexta-feira (9), o programa Sexta Feliz, uma iniciativa que consiste na entrega de lanches todas às sextas-feiras, na saída do período escolar, para cerca de 25 mil estudantes regularmente matriculados nas 68 escolas da rede municipal de ensino.

O objetivo do programa é garantir que as 25 mil crianças que estudam na rede tenham direito à mais uma refeição, além da merenda escolar fornecida, e possam levar o alimento para suas casas. Serão beneficiadas crianças que estudam na fase de Educação Infantil (Maternal, Berçário I e II e Pré I e II) e no Ensino Fundamental Ciclo I (1º a 5º ano).

Cada sexta-feira uma composição de lanche

O programa é permanente e cada criança terá direito a levar para casa um lanche a cada sexta-feira. Serão oferecidas oito composições de lanches: suco e pão com frios; suco e frutas (maçã, banana ou mexerica, dependendo da estação); suco e biscoitos; e suco e bolo. Em períodos de frio ou inverno, os sucos serão substituídos por achocolatado, acompanhando as combinações de alimentos sólidos.

As combinações de lanches serão administradas pela empresa responsável pelo fornecimento das merendas escolares em comum acordo com a Secretaria de Educação e Cultura de Itapevi.

A Prefeitura adotou o programa porque identificou crianças que vão para escola apenas para se alimentar, principalmente porque muitas famílias não têm condições de prover as refeições regulares aos seus filhos devido às dificuldades e crises financeiras vivenciadas.

Programa já tem aprovação de professores, pais e alunos

A professora Maris Brasil, do 5º ano do Cemeb Bemvindo Moreira Nery, na Cohab, explicou que o programa está sendo muito bem aceito pela comunidade escolar. “Para as crianças é uma novidade agradável e nós professores também. Quando olhamos para elas notamos a felicidade em receber o alimento, que contribui para suplementar a refeição e auxiliar no desenvolvimento de cada uma delas”, argumentou.

Quem aprovou a iniciativa foi a pequena Isabela Rosa Jacob, 8, estudante do 4º ano B. “Gostei bastante do lanche. Gostoso, ele é uma opção que podemos levar para casa. Tenho colegas que não têm o que comer em casa ou estão passando dificuldades. Para eles e os pais os lanchinhos serão ótimos e vão ajudar bastante”, disse.

A mãe dela, Débora Rosa da Silva, 33, assistente administrativo, também gostou da medida. “Uma excelente surpresa para nós, pais, também. Olhamos a iniciativa de uma forma responsável e atenta em prol dos nossos filhos, sobretudo junto aos filhos daquelas famílias que mais necessitam de ajuda porque os pais ganham pouco e muitas vezes não conseguem oferecer uma simples comida ou alimentação ideal e completa dentro de seus lares”, explicou. Ela ainda enfatiza. “O lanche é mais uma alternativa complementar à alimentação oferecida dentro das escolas”, finalizou.