A presença digital de uma marca é fundamental para quem deseja estar perto do consumidor, mas muitos dos pequenos negócios cometem erros por não explorar os diversos tipos de conteúdo em sua comunicação.

Entretanto, a qualidade do conteúdo é fundamental para uma campanha bem sucedida e conhecer o público-alvo é o primeiro passo para criar qualquer estratégia. Depois mapear o perfil do consumidor, é possível direcionar cada estratégia dentro do funil de vendas.

Independente do formato do conteúdo, é possível trabalhar todas as etapas do funil de vendas e fazer a integração das estratégias. Um blog post, por exemplo, pode apresentar um conteúdo mais simples, porém convidando o leitor a baixar um e-book para se aprofundar no assunto. Tudo depende do seu objetivo na estratégia. Vejamos um resumo das etapas do funil de vendas:

Topo de funil: em um blog post, você pode criar textos no formato de dicas e artigos sobre os assuntos relacionados ao seu mercado, por exemplo. O objetivo desse conteúdo é atrair as pessoas para conhecer a sua marca.

Meio do funil: desenvolva conteúdos sobre as dores e os problemas do seu público-alvo trazendo a solução por meio do seu produto/serviço. Nessa etapa existe muita captação de leads, portanto tenha sempre um CTA (call to action – chamada para uma ação, que pode ser um formulário, uma newsletter… Convide o leitor para uma ação em que você possa medir depois).

É no meio de funil também que o cliente está quase tomando uma decisão de compra, ou seja, ele já considerou o problema e procura agora a solução. Explore os conteúdos com esse viés.

Fundo do funil: crie um conteúdo para quem já comprou o seu produto ou serviço. O objetivo é criar um relacionamento para criar uma conexão entre o público e a sua marca. Dessa forma, o cliente se tornará recorrente.

Quais os principais formatos de conteúdo?

1.       Vídeos

Os conteúdos produzidos em vídeos costumam trazer grandes resultados. As pessoas não param para ler qualquer coisa na internet, é preciso despertar a sua atenção e um vídeo pode facilitar muito processo.

Sua marca não precisa ter um canal no YouTube com vídeos toda semana, mas é importante explorar essa funcionalidade nas redes sociais. Comece com pequenos vídeos abordando as dúvidas dos consumidores, falando sobre os seus produtos, faça uma pesquisa e descubra sobre o que o seu público gostaria de ver e crie sua estratégia.

Para iniciantes, existem muitos editores de vídeo online gratuitos e pagos que ajudam pequenos negócios em suas estratégias.

2.       Transmissões ao vivo

Quem nunca acompanhou uma live? Cada vez mais usadas por empresas, as transmissões ao vivo via streaming, são muito eficientes para aproximar a marca do consumidor. Seja com sorteios online ou discutindo um assunto especifico vale a pena adotar nas suas estratégias online.

Entretanto, para ter sucesso nessa ação é preciso certificar-se de que sua internet atende o seu negócio. Problemas de queda e falha na conexão comprometem a experiencia das pessoas com a sua marca. Aposte em uma internet de boa qualidade, a Vivo Empresa acaba de trazer à cidade opções de banda larga com fibra para empresas.

O interessante é que quem é cliente Vivo também tem acesso ao Vivo Valoriza Empresas, que oferece benefícios exclusivos para ajudar na transformação digital das empresas. É uma parceria da Vivo com outras instituições.

3.       Imagens

As imagens são muito usadas em redes sociais, nas ilustrações de texto, para divulgar produtos e mais uma infinidade de oportunidades. É possível inserir uma imagem em praticamente qualquer estratégia.

Procure trabalhar com fotos de boa qualidade e que a comunicação esteja realmente passando a mensagem que deseja.

4.       Infográficos

Quer divulgar dados de uma forma mais leve e atrativa? Aposte nos infográficos! Esse formato de conteúdo ajuda a tratar de assunto mais complexos explorando a criatividade. Pode ser utilizado em diversas estratégias: blog post, redes sociais, pesquisas e etc.

5.       Pesquisas

As pesquisas ajudam a aumentar a presença digital da sua marca em outros veículos de comunicação, por exemplo. Ao obter dados relevantes a partir de uma pesquisa, é possível divulgar à imprensa e obter menções espontâneas para a sua marca.

Além disso, a pesquisa pode gerar insights para trabalhar outros conteúdos. Você pode divulgar um infográfico e direcionar o leitor a baixar a pesquisa completa mediante ao preenchimento de um formulário. Dessa forma, você capta leads de pessoas interessadas no assunto trabalha depois de forma mais assertiva com esses contatos.

6.       Conteúdos ricos

Os conteúdos ricos são desenvolvidos para agregar valor ao leitor. É muito mais do que apresentar a sua marca ou produto. Pode ser um e-book, um white paper, uma pesquisa e etc. A característica principal desses materiais é tratar de forma aprofundada sobre um tema específico.

Esse tipo de conteúdo ajuda a construir ou aumentar a autoridade da marca no assunto tornando uma especialista.

7.       Blog

Um blog pode explorar diversos formatos de conteúdo: texto, imagens, infográficos, vídeos e etc. Além de ajudar no ranqueamento do seu site nos mecanismos de busca, como o Google. Muito versátil, possibilita trabalhar todas as etapas do funil unificando todas as estratégias.

Contudo, é importante testar alguns formatos e ver o que melhor se comunica com o público-alvo. Analisar cada campanha antes de criar uma nova é fundamental para mapear os acertos e corrigir os erros.