Foto: Arquivo pessoal

A mãe e o bebê de apenas cinco meses que desapareceram em Itapevi, na Grande São Paulo, foram localizados na manhã desta sexta-feira (25), na região da Cracolândia, no centro de São Paulo, após cerca de 36 horas.

De acordo com a IOPE (Inspetoria Regional de Operações Especiais) da GCM (Guarda Civil Metropolitana), Célia Alves dos Santos, de 41 anos, procurou a base por volta de 5h30 para pedir ajuda.

O carro de Célia teria sido abordado por criminosos por volta das 18h40 de quarta-feira (23), cerca de 10 minutos após ela entrar em contato com o marido Nilton José dos Santos. Ela o buscaria em sua loja no centro de Itapevi, na Grande São Paulo.

+ VIDEO: Marido fala ao deixar delegacia com a esposa e filho que estavam desaparecidos

Após o sequestro, teria sido abandonada, junto com o bebê Heitor em um quarto de hotel no mesmo dia. Por um tempo, ela teria ouvido conversas sobre drogas do lado de fora do cômodo e teve medo de tentar sair.

Os criminosos deixaram leite e pães para que as vítimas se alimentassem. Nesta manhã, ao ver que o leite estava acabando, se desesperou. Quando percebeu que não ouvia mais barulhos vindos de fora, tentou fugir.

A porta estava destrancada e Célia saiu em busca de ajuda. Pela Praça Júlio Prestes, encontrou a GCM e pediu socorro. Bastante desesperada, só lembrava o telefone do marido, para quem ligou.

A família ficou muito aliviada ao receber o telefonema. Após o desaparecimento, um sobrinho de Célia saiu em buscas de câmeras de segurança que pudessem ter flagrado o possível trajeto do veículo da vítima, um Fiat Doblô preto.

+ Mulher e filho de 5 anos desaparecem em Itapevi, polícia faz buscas na cidade

As imagens obtidas mostram o carro passando e, possivelmente, sendo seguido por um Chevrolet Corsa também na cor preta, por volta das 19h16 do mesmo dia (23). Os vídeos foram entregues ao investigador do caso.

Ao seguirem o trajeto, o carro de Célia foi encontrado pelo cunhado de Nilton, na alameda Vicente Cocozza, com todos os pertences dentro, como bolsa, documentos e mamadeira do bebê. O local fica há aproximadamente uma hora de onde as vítimas foram localizadas.

A principal suspeita da família é que as vítimas foram sequestradas e os criminosos se sentiram coagidos após a ampla divulgação do caso na mídia.

Nilton afirmou que não recebeu nenhuma ligação ou pedido de resgate, nem houve registro de movimentação nas contas bancárias da esposa.

Ela e o filho estavam bem debilitados, com fome e sede, mas não sofreram nenhum ferimento.

O caso foi registrado como encontro de pessoa no 2° Distrito Policial do Bom Retiro, mas será encaminhado à delegacia de Itapevi, que prosseguirá com as investigações.