Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro voltou a se pôr contra a instituição em todo o país de um “passaporte da vacina” contra a Covid-19, documento que comprova a imunização contra a doença e que já é exigido em algumas unidades da Federação para o acesso a determinados locais.

Nesta sexta-feira (1), durante um evento do governo federal em Maringá (PR), o chefe do Executivo disse que “daquilo que depender do governo federal, não teremos passaporte da Covid”.

“Nunca apoiamos medidas restritivas. Sempre estivemos ao lado da liberdade, do direito de ir e vir, do direito ao trabalho e da liberdade religiosa”, comentou o presidente.

Bolsonaro ainda reclamou dos governadores e prefeitos que apoiam a medida sanitária. Segundo ele, “algumas medidas restritivas que estão aparecendo agora pelo Brasil nós não podemos admitir”.

“Nós compramos cada vacina distribuída pelo Brasil. Nós demos todos os meios para combater a pandemia e não podemos admitir que alguns protótipos de ditadores, em nome da saúde, queiram tirar a liberdade de vocês”, reclamou.