COMPARTILHAR

[pos_dim pos_width=6]

O que você vai ler agora, é, além do primeiro artigo da minha coluna como administrador do IR, é também o relato de uma das tentativas de me enganar mais engraçadas que já passei no Itapevi Realidade. Acreditem, nesses quase 3 anos que tenho de IR, já passei por diversas tentativas de trolagem, mas até o momento, nunca havia passado por uma como essa, que além de me fazer rir muito, me fez também perceber que dominarmos pelo menos mais um idioma além do português, é muito importante e nos livra de certas enrascadas. Espero que vocês apreciem

 

Durante todo esta terça-feira (04/03) o perfil do Itapevi Realidade no Facebook recebeu mensagens via inbox de vários amigos, isso é normal, acontece o dia inteiro, e acreditem, nós adoramos bater papo com nossos leitores e fazemos o possível para responder todo mundo! 😉

Porém, no início da noite um perfil de nome Verônica Santos nos enviou uma mensagem dizendo querer fazer parte do IR. Poxa, toda ajuda é muito bem vinda, e antes de continuarmos a conversa com a nossa amiga, resolvemos acessar o perfil da “Verônica” para saber um pouco mais sobre ela e durante a nossa análise rápida identificamos o seguinte:

 

1 – O Perfil foi criado no último domingo 01/03/2014; ( Isso é um pouco estranho)

2 – As fotos do perfil eram de mulheres semi – nuas (O que, no meu ponto de vista já não passa uma imagem muito positiva, mas tem vários likes de amigos do IR, então tudo bem – SQN);

3 – Ela possui 41 amigos, dos quais 21 são em comuns com o IR (Quem tem 41 amigos no facebook? Só mesmo sendo muito seletivo, mas enfim);

4 – A única informação sobre a Verônica que encontramos no perfil é que ela havia frequentado o colegial na Califórnia, nos Estados Unidos (olha só, quase uma gringa falando com o IR!)

 

Bom, como nós recebemos muitas mensagens e falamos muito com os moradores da cidade, para não acusar ela de ter um perfil Fake (falso) resolvemos conversar mais um pouco, e de acordo com a Verônica, ela havia ficado um tempo nos USA, o perfil no face era novo, as fotos eram de suas amigas “atriz”, ela é modelo, está morando no bairro Nova São Paulo, e aí então, para garantir que era tudo verdade,  resolvemos puxar um papo em inglês com a quase gringa, afinal de contas, ela fez High School na Califórnia, era modelo, tinha amigas “atriz” lá e o mínimo que poderíamos esperar é que ela soubesse falar o idioma daquele lugar, certo?

 

Foi neste momento meus amigos, que a coisa começou a ficar engraçada: Quando o Itapevi Realidade enviou aquele monte de palavras da gringa, perguntando coisas básicas sobre ela e sobre a escola na Califórnia, adivinhem o que aconteceu com a tal da Verônica? – Se você acha que ela não conseguiu escrever nada, você ACERTOU! (risos)

 

Ela não conseguia escrever nada, sim caros amigos, a tal Verônica simplesmente travou. E para não dizer que ela não escreveu nada em inglês, recebemos apenas um “Hello Baby”, “is me sex” e um “is”, que sozinho não tem muito sentido, pelo menos que eu saiba.

Viu aí a importância de dominar, além da nossa própria língua, um segundo e se possível terceiro idioma?  Não se esqueça disso!

 

Bom, não sabemos quem era o verdadeiro usuário do perfil que tentou nos trolar, mas talvez avaliando os “amigos” dá para se ter uma ideia, e claro, já está claro para o IR do que se trata, mas de qualquer forma, vamos deixar algumas dicas que talvez sejam úteis, para um possível futura trolagem ao IR:

 

1 – Tente fazer o perfil falso parecer menos falso;

2 – Domine pelo menos o Português, ele é seu idioma nativo. Nó passamos 12 anos na escola e em todos os anos tivemos a matéria português, e não culpe seus professores por isso, afinal de contas, se 12 professores não conseguiram te ensinar a escrever o idioma que você fala 24 horas por dia, há de convir que o problema não eram eles, certo? – Se eu estiver errado me corrija nos comentários.

3 – Saiba escrever  pelo menos que você não sabe falar Inglês (I don`t know how to speak English ) e o mesmo em Espanhol (Yo no hablo español) – Não pensem que sou filhinho de papai por saber isso, sempre estudei em escola pública e eu diria que só sei isso porque não sou filhinho de papai;

 

Obrigado á todos e á ” Verônica” também, por acompanharem o site do IR, fico feliz pelos inúmeros acessos e elogios.

 

Um abraço!

 

Bruno César[/pos_dim]