Importante: Em função de o caso ainda estar em apuração, o IR decidiu não publicar nome ou imagens da escola, bem como utilizará Simone como nome fictício para se referir a denunciante.

Uma mãe, moradora do bairro Cohab 1 em Itapevi, descreveu nesta terça-feira (15) em sua rede social, uma experiência bastante triste para qualquer mãe, ouviu de seu filho de 6 anos que ele estava sendo vitima de maus tratos na creche particular em que o deixava.

O filho de Simone , passa o dia em duas creches, no período da Manhã em uma particular e no período da tarde em uma pública, as duas estão localizadas na cidade de Itapevi.

De acordo com o relato da mãe, a criança está em uma fase em que enfrenta problemas na hora de fazer suas necessidades, por isso, no dia 9 de maio foi chamada até a creche pública em que deixa o filho pois ele precisava ser levado para casa depois de ter sujado suas calças.

Já no colégio, a mãe relata que levou o filho até o banheiro e no momento em que estava corrigindo a criança, ela pediu para que a mãe não batesse nele pois já havia apanhado naquele dia.

Simone se viu preocupada com o que ouviu do filho e buscou entender com a criança a que ela se referia, foi então que ouviu relato de momentos de sofrimento e humilhação ao qual o filho de apena 6 anos de idade estava passando no período da manhã.

Entre as situações relatadas pela mãe, ela diz que, de acordo com a criança, em uma situação em que ele sujou as calças na creche, a “tia” o limpou com uma vassoura que espetava o seu bumbum, a criança também afirmou que foi levada para um quarto e ameaçada, caso falasse sobre aquilo com alguém, sofreria conseqüências. A criança afirmou ainda que não contou sobre o caso à mãe por medo de apanhar.

Simone afirma que levou a criança até a creche, a criança fez o relato na frente das tias, que negaram que o fato tenha acontecido. A mãe abriu um Boletim de Ocorrência na Delegacia de polícia e a criança foi submetida ao exame de Corpo de Delito.

A mãe retirou a criança da creche e afirma que ela precisará de acompanhamento psicológico.

Recado aos pais

A triste experiência gerou uma reflexão na jovem mãe, seria o seu filho o único a estar passando por este tipo de tratamento?

Por isso, Simone encerrou seu texto deixando um alerta aos pais de crianças matriculadas em escola particular ou pública:

Prestem mais atenção nos gestos que os filhos estão dando, investiguem e perguntem para saber o que acontece na escola, esse é o momento que nós não estamos com eles para saber o que acontece ou o que deixa de acontecer. Prestem mais atenção!

O que diz a Escola e ?

O Itapevi Realidade entrou em contato com a escola citada pela mãe, em conversa com uma funcionária, ela negou que o fato tenha acontecido e informou que estavam dando esclarecimentos à pedagogas da Secretaria de Educação do município que estavam no local.

As secretarias de Educação e de Assistência Social foram questionadas a respeito de quais ações estão sendo tomadas a respeito do caso, mas até a publicação desta matéria não obtivemos resposta.